Festival da OTI terá um sucessor, mas qual seu nome?

Festival da OTI terá um sucessor, mas qual seu nome?

RTVE havia anunciado Hispavisión, como um torneio intercontinental ibérico, mas com a EBU finalmente percebendo aonde está o seu maior público fora da Europa e anunciando o Eurovision Latin America, a grande pergunta é: como será esse festival?

A história do festival legado

Antes, vamos rebobinar a fita e mostrar como era o festival considerado irmão do Eurovision: o Festival da OTI. Realizado de 1972 até 2000, o festival contou com os países de toda comunidade pan-americana, Espanha e Portugal. O Brasil sagrou-se campeão em três oportunidades: 1972, 1978 e 1983. Portugal acabou não vencendo, e as maiores campeãs foram Espanha e México com seis troféus cada uma.

Lista dos campeões do antigo Festival da OTI. Imagens: Internet

Também houve polêmicas em sua história: vários países estavam vivendo em ditaduras militares em seus inícios, sob o pretexto da Guerra Fria. Algumas edições nem tiveram o anúncio das votações dos jurados e até teve país campeão impedido de sediar. Essa mudança de regra aconteceu em 1977: a Nicarágua venceu o festival, mas as batalhas sangrentas no país a impediram de sediar no ano seguinte. Isso fez a OTI (corporação das rádios e televisões ibéricas) decidir realizar um sorteio para cidade sede – que perdurou até sua última edição.

De OTI para TAL e o projeto da EBU

A corporação não deixou de existir, porém mudou seu foco para as transmissões esportivas e as televisões públicas de vários países estavam sendo até reformuladas. Em 2003, cria-se a TAL, a nova corporação de Rádios e TVs públicas da região, e não havia um interesse para a recriação do festival. Porém, em fevereiro, a RTVE (televisão pública da Espanha) anunciou conversações com as emissoras da região e Portugal para a realização. Seu nome seria Hispavisión e isso se deve ao sucesso do retorno do Festival de Benidorm.

No início dos anos 2010, a EBU (corporação europeia de rádio e televisão), pensou em expandir o Eurovision, para a África e a Ásia (cujo projeto foi cancelado). O projeto de buscar transformar em uma Copa do Mundo da Canção entrou na mente dos executivos desde então. Por agora, só conseguiu concretizar nos Estados Unidos (cuja primeira edição aconteceu este ano) e, este mês, anunciou a América Latina no roteiro. Isso se deu ao perceberem que boa parte do público fora da Europa (e também dos participantes estrangeiros das suas seletivas) são da região. Como resultado, bastante esperado pelos fãs, até o Canadá ganhou sua própria edição do show.

E agora?

Amanhã está programada uma reunião entre os executivos da RTVE com a EBU para explorar as vias de colaboração. Detalhes sobre o nome, o conceito, a produção deste festival novo e sua primeira cidade sede serão definidos. Ao mesmo tempo, a corporação europeia também realiza os preparativos para conhecermos a cidade sucessora de Turim em seu próprio festival, que pela primeira vez em anos não será no país campeão (Ucrânia).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: